2 de nov de 2009

Sensações

Aquela sensação da fumaça entrando pela boca, passando pelo pescoço e chegando aos pulmões.
A sensação de ardência por dentro, como se no fundo fosse tudo uma vontade de coçar.
O ar saindo, como algo que estava preso há um bom tempo dentro do corpo e não pudesse mais esperar pra sair.
Enfim, a leveza do ar,o riso fácil, a vida coloridamente feliz e engraçada, mesmo que observada de um quarto com paredes claras...
A sensação de que deveria haver algo mais...
Finalmente, a felicidade descomprometida de não se lembrar de nada com exatidão...
O descanso temporário da mente e o relaxamento dos músculos.
Finalmente, a liberdade \o/

5 de out de 2009

Nada como dia após dia, uma noite, um mês... Os velhos olhos vermelhos voltaram de vez

Ao sair do trabalho hoje chovia... Aquela chuva calma de tantos dias cinzas atrás...
"Os velhos olhos vermelhos voltaram
Dessa vez
Com o mundo nas costas
E a cidade nos pés
Pra que sofrer se nada é pra sempre?
Pra que correr, se nunca me vejo de frente"

Estava sem sombrinha, então fui correndo da porta do trabalho ao ponto de ônibus, que fica rasoavelmente perto...
Entrei no ônibus, e a chuva continuava a cair...
A avenida passava em borrões de todas as cores.
Dei-me ao luxo de deixar rolar as lágrimas que insistiam em sair, calmas, como a chuva que caía lá fora.
"Parei de pensar e comecei a sentir
Nada como um dia após dia
Uma noite, um mês
Os velhos olhos vermelhos voltaram de vez"

Quando enfim pararam de correr, tudo era só silêncio dentro de mim...
Até a chuva que corria lá fora de repente não fazia mais barulho... eram só os pingos que caíam...
Voltei a olhar a cidade que passava pelo vidro embassado, os olhos vazios de sentimento e expressão.
"Os velhos olhos vermelhos enganam
Sem querer
Parecem claros, frios, distantes
Não têm nada a perder
Por que se preocupar por tão pouco?
Por que chorar, se amanhã tudo muda de novo?"

13 de set de 2009

Pra finalmente retirar a poeira...

Há tempos o anjo na minha cabeça voltou... Não sei ao certo quando nem porque, sei apenas que está aqui me observando... Me pergunto se seria o efeito do álcool sempre por perto nos últimos meses.
Pensei que o anjo tivesse ido embora pra sempre...mas ele continua aqui, me observando...e observando... e observando... Talvez um pouco mais silencioso que o de costume. Que seja... quem sabe agora não volto a escrever embalada pelas leves doses diárias de álcool.
Ouvindo Pitty acompanhada por algumas doses de martini...
Será que alguem ainda lê isso aqui?
____________________________________________
Deixa eu mimar você, adorar você, agora e só agora...

15 de jun de 2009

Hah eu quero um iPod :D

Pessoas, o blog IMENSURÁVEL tá com uma promoção que vai dar um iPod Shuffle pra quem divulgar o blog em sua página ou blog... enfim, feita a divulgação :)~~
Pra quem quiser também, o iPod é meu, fikdik xD

25 de abr de 2009

Nostalgia

Momento nostalgia... Juro que sinto vontade de pular, cantar e dançar apenas porque ainda estou viva... Já tinha um tempo que não me sentia assim...
Me sinto hoje como me sentia sempre há quase dois anos... (quem sabe direito vai entender isso aqui) Quando eu tinha a tarde toda pra ficcar na net conversando com uma certa pessoa...
Ah, bons tempos...
Quero muito, muito mesmo ficar despreocupada e voltar a ser menina... Embora ser assim não me faça triste... é só que sinto um raiozinho tímido de sol rompendo a minha fortaleza... E adivinhem só: ele está causando uma rachadura que pode quebrar a parece toda...
Sim, eu sei, o que estou falando não faz sentido...
Mas a sensação das borboletas no meu estômago novamente me fizeram ter uma sessão nostálgica que ainda não passou, e que duvido que passe tão cedo...
O velhos olhos vermelhos voltaram
Dessa vez
Com o mundo nas costas
E a cidade nos pés
Pra que sofrer se nada é pra sempre?
Pra que correr
Se nunca me vejo de frente?

Parei de pensar e comecei a sentir
Nada como um dia após dia
Uma noite, um mês
Os velhos olhos vermelhos voltaram
De vez

Os velhos olhos vermelhos enganam
Sem querer
Parecem claros, frios, distantes
Não têm nada a perder
Por que se preocupar por tão pouco?
Por que chorar
Se amanhã tudo muda de novo?

Parei de pensar e comecei a sentir
Nada como um dia após dia
Uma noite, um mês
Os velhos olhos vermelhos voltaram
De vez

Parei de pensar e comecei a sentir
Nada como um dia após dia
Uma noite, um mês
Os velhos olhos vermelhos voltaram
De vez
Essa letra merecia estar aqui, acredite... e não, não é de tristeza... é de uma felicidade infundada que eu não sentia há muito tempo...
Bom me sentir outra vez assim...
Só espero que não passe nunca, nunca mais.